9.11.2006

lê os meus olhos


5 Comments:

Blogger -pirata-vermelho- said...

SOYEZ LA BIENVENUE!

12:18 da manhã  
Blogger -pirata-vermelho- said...

Este gajo já cantava isto quando eu lia o Sartre e o Hegel

12:19 da manhã  
Blogger Lilly Rose said...

pois é, pirata, esta é bem antiga e, se queres que te diga, de tanto a ouvir ___quando estudava Hegel (devia ter uns 16 anos. era obrigatório no programa do liceu :))___ Sartre foi mais tarde!___ cheguei a enjoar a canção. Do Brel tenho as minhas favoritas, não é esta. mas gosto do Jacques a transpirar.

3:21 da manhã  
Blogger Lilly Rose said...

Et SOYEZ VOUS LE BIENVENU! :)

abraço

3:22 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

Há pessaos que se engtregam todas ao que fazem, e acabam assim, a transpirar. Como um pedreiro, que constrói pedra a pedra a sua obra, com o suor do seu rosto. Esta só é a tua favorita pelo suor? Eu gosto de ouvir alguem a dizer-me "Ne me quite pas!" Sobretudo se esse alguem for importante para mim. Por isso esta canção não envelhece, não tem idade, quando vemos morrer e desaparecer milhões todos os anos. Uma questão de talento e de suor, dizes bem. É preciso dar tudo por tudo. Alguns dão. Um beijo Lilly. Havemos de tomar um café um dia destes. Quando deixares de ser "anónima". LA

6:19 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home